Inovações na arbitragem

29/03/2017 às 18:46 | Assessoria CBF

Estruturação do processo de análise de desempenho

A Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol segue na busca pela formação de uma identidade para a arbitragem brasileira. Durante toda a última segunda-feira (27), membros do órgão estiveram reunidos na sede da entidade para acertar a estruturação do novo processo de análise de desempenho dos árbitros, que incluirá a avaliação por meio de analistas de TV e de campo.

A CBF vai iniciar a utilização de uma nova plataforma, com dados estatísticos e imagens, para avaliar os árbitros do seu quadro. Para garantir a lisura, o novo sistema será auditado e vai analisar as qualidades e aspectos a melhorar de cada árbitro e assistente. Em um banco de dados, haverá o perfil para cada profissional, com gráficos para cada item e informações objetivas e rápidas, que contribuirão para a evolução. O mecanismo vai gerar dados individuais e globais para a Comissão de Arbitragem.

O Centro de Pesquisa e Análise de Desempenho da Arbitragem receberá informações técnicas e disciplinares definidas pelos analistas selecionados. Os dados fornecidos pelos analistas e TV irão ao encontro às referências passadas pelos analistas de campo. Estas informações serão recebidas pela Comissão de Arbitragem e, após avaliação dos instrutores do Centro de Pesquisa, nos moldes do que tem sido utilizado pelo Departamento de Seleções, resultarão em relatórios, em texto e vídeo, para os árbitros e assistentes avaliarem as respectivas atuações. Tudo isto será entregue aos profissionais em um prazo de no máximo 48 horas após o último jogo do qual tenha atuado.

O presidente da Comissão de Arbitragem, Marcos Marinho, destacou a evolução que será feita com esta novidade. Para ele, a ferramenta será importante e fundamental para a Comissão e os próprios árbitros.

– A devolução desse trabalho é imediata para os árbitros. Ele vai ter a imagem e o comentário do analista com relação ao erro, ou acerto, mas principalmente em falhas, para que possa, em uma próxima partida, corrigir isso. O objetivo desse trabalho com imagens é a uniformidade do critério. É o que estava falhando dentro do sistema. A cobrança pela mudança de atitude com relação ao árbitro. E você vai ter condição, no final da temporada, de mensurar as características que o árbitro precisa melhorar em termos gerais. Isso vai nos mostrar, através das análises, o que vamos estar atacando no ano seguinte – acrescentou.

Para manter-se no quadro de árbitros da CBF, os profissionais terão de alcançar as metas estabelecidas. Os árbitros poderão acompanhar os quesitos em que estiverem com bom desempenho ou deixando a desejar através da ferramenta. Com este banco de dados, as informações poderão ser compartilhadas com dirigentes de clubes e mídia. A ideia é blindar a arbitragem por meio de imagens e dados estatísticos.

Para isto, a Escola Nacional de Arbitragem de Futebol – ENAF está realizando treinamentos para utilizar do sistema de análise e do novo formato do relatório de análise de desempenho da arbitragem (RADAR), em três etapas. A segunda será em São Paulo (4 a 8/4) e a última, no Rio de Janeiro (10 a 13/4).

Leia mais

Nossos patrocinadores